Carreira, Desenvolvimento

Soft Skills: Conheça as habilidades comportamentais Mais Valorizadas nos Processos Seletivos

Você sabe que tipos de habilidades as empresas buscam em seus candidatos? Neste artigo te apresentamos essas skills tão desejadas

soft skills

Existe o profissional perfeito? Com certeza não, mas existe o profissional com as Soft Skills mais valorizadas no mercado de trabalho

Quais qualidades e habilidades o candidato “ideal” deveria apresentar em seu comportamento e postura? Essas são as Soft Skills, habilidades comportamentais que refletem as características do profissional. 

soft skills

Essas são algumas das perguntas constantes de quem busca entrar para o mercado de trabalho. Porém, a resposta para elas se baseia no fato de que para cada empresa e para cada vaga, há perfis com habilidades definidas como as mais adequadas, que variam com as mudanças no mercado e necessidades de cada área. E dentre essas habilidades desejadas, estão as habilidades técnicas (hard skills) e as habilidades comportamentais (soft skills).

E, como de costume, chega-se à conclusão de que para se destacar como profissional, deve-se investir em todos os tipos de habilidades para que se construa um perfil completo e adequado para o propósito de cada um.

Bom, quanto às competências técnicas, temos como fontes de conhecimento: as aulas da universidade, cursos diversos, Internet…  E as competências comportamentais, o que fazer para conquistá-las?

O que são Soft Skills?

Entende-se que as Soft Skills de uma pessoa é definida por características subjetivas que compõe a personalidade e a forma de expressão de cada um. Para uma empresa, é interessante, por exemplo, que o funcionário consiga se comunicar de modo eficaz, além de trabalhar bem em equipe e interagir com os colegas. Ricardo Haag, gerente executivo da Page Personnel, explica: “Desde a crise de 2008, a capacidade de lidar emocionalmente com a pressão começou a ser uma questão de sobrevivência nas empresas”. Dessa forma, a automotivação e autocontrole se tornam necessários para sobreviver às cobranças por resultados.

Como melhorar habilidades comportamentais?

O primeiro passo para evoluir suas soft skills é, invariavelmente: investir em autoconhecimento. Candidatos que se conhecem bem tem grande diferencial competitivo e isso é percebido em entrevistas e dinâmicas. O candidato que se conhece bem sabe seus limites, suas capacidades em potencial e demonstra domínio sobre seus pontos a melhorar.  O autoconhecimento também ajuda a guiar o foco do que pode ser melhorado em nossas habilidades comportamentais.

soft skills

E, para que possamos guiar o seu melhor guia, que é você mesmo, aqui estão sugestões de competências comportamentais altamente desejadas pelo mercado de trabalho:

No momento em que acontece um contato mais próximo entre recrutador e candidato, como em entrevistas e dinâmicas de grupo, o selecionador vai tentar te decifrar ao máximo para tentar entender quem você é e como você se comporta.

Nessa hora, o recrutador irá te testar de várias formas. Te surpreenderá com alguma quebra de expectativa e com perguntas capciosas…. Exatamente para testar seu nível de autocontrole, autoconhecimento e raciocínio lógico rápido e equilibrado, ou seja, sua inteligência emocional. Sua postura, sua resposta e sua reação são oportunidades para que o recrutador te conheça melhor. Use isso a seu favor.

  •  Perfil de Dono

O chefe de planejamento financeiro de Supply Chain da empresa Kraft Heinz, Marcelo Lyra, aponta uma das características mais importantes dentro da empresa, a “cabeça de dono”: “Quando você cuida de algo como se fosse seu, toma melhores decisões.”

E é exatamente por isso que essa habilidade é valorizada. Arregaçar as mangas e mergulhar de cabeça é o que faz as coisas acontecerem. Nada melhor do que sentir que todos da equipe cooperam de verdade e caminham juntos rumo ao mesmo objetivo, não é mesmo?

  •  Criatividade

Sim, com certeza a criatividade é uma habilidade valorizada! Pessoas criativas inovam toda hora, enxergam soluções mirabolantes para problemas que parecem impossíveis para quem costuma ver tudo sempre da mesma maneira “dentro da caixa”. (Criatividade é uma questão de prática, sabia?)

Se puder adicionar à criatividade a clareza do raciocínio lógico e um toque de bom humor, então… Melhor ainda.

  •  Mentalidade “à la” Design Thinking

Sabe aquela famosa ferramenta chamada Design Thinking? Ela é baseada no enfoque especial dado ao cliente e suas necessidades, e neste caso, os clientes são os recrutadores. Soluções inovadoras, estratégicas e viáveis são muito bem vistas para a resolução dos cases nas dinâmicas, por exemplo.

Inovar nunca sai de moda. Principalmente inovar com o foco de se obter os melhores resultados.

  • Mentalidade voltada à solução de problemas complexos

Certas situações a serem resolvidas envolvem um grau de complexidade maior do que a maioria. Para questões verdadeiramente complexas, dificilmente haverá uma resposta única e certeira. Isso vale para o dia a dia no mercado de trabalho e durante os processos seletivos, momento em que será testada a habilidade de encarar problemas complexos.

A primeira etapa ao se deparar com um problema complexo é definir o tipo e o grau de complexidade, as pessoas e ambientes envolvidos, as causas, efeitos, contextos e perspectivas. Quebrar os problemas complexos em pedaços torna a resolução mais palpável e clara. Os avaliadores prestarão atenção em sua linha de raciocínio ao criar as resoluções, se ela é estruturada, sistêmica e “fora da caixa”.

♥ Sugestão para Leitura: “Planejamento de Cenários Transformadores”, do físico Adam Kahane, em que se explica diretrizes sobre resolução de problemas complexos e as habilidades requeridas para essas situações.

  • Empatia e Bom Senso

Características desejáveis em qualquer ser humano, né?

Numa realidade em que cada vez mais se aplaude o altruísmo, a compaixão e o respeito, a empatia vem se tornando indispensável para relações saudáveis. Se colocar no lugar do outro deve ser um exercício diário para adequar ações e reações quanto às circunstâncias. Atitudes “a mais” e “a menos” comprometem a fluidez das atividades e a interação entre a equipe. Bom senso e equilíbrio sempre vão ser valorizados, seja qual for o ambiente ou contexto.

  • Poder de Negociação

Essa habilidade é muito valorizada principalmente em processos seletivos de vagas comerciais.  Para participar de uma negociação, é preciso jogo de cintura e pensamento “ganha-ganha” para ser bem-sucedido. É necessário estabelecer um equilíbrio entre as próprias necessidades e as do outro, que pode ser um cliente ou um outro candidato de uma dinâmica de grupo.

 Uma situação de negociação pode servir para testar sua persuasão e sua reação sob pressão. Será observada a forma como você concilia os próprios desejos com os da equipe, assim como a capacidade de ouvir o próximo, de fazer concessões e de não abrir mão de seus objetivos.

  • Orientação para Serviços

O candidato não pode esquecer que, como funcionário, ele dedicará seu esforço, tempo e energia para oferecer seu serviço à organização em que trabalha. E como um verdadeiro prestador de serviços, ele deve se atentar à qualidade, aos indicadores e aos feedbacks recebidosem relação ao serviço prestado.

Ao realizar uma atividade, deve se ter em mente, primeiramente, em quem irá receber e validar o serviço. Qual seu padrão de qualidade, as especificações e exigências. Para isso, num processo seletivo e no mercado de trabalho, atente-se: quais resultados preciso entregar? Quais indicadores determinam a qualidade do meu serviço? O que meus coworkers ou clientes têm como crítica construtiva sobre meu trabalho?

E lembre-se que é dando a cara a tapa, caminhando e errando que se aprende. 
soft skills
Aos poucos, cada habilidade será lapidada de acordo com suas experiências.
Acredite em seu potencial e BORA pra action!

⇓ (AQUI você pode fazer um checklist pra saber como estão suas habilidades!)⇓

habilidades-mais-desejadas-e-valorizadas

Autora: Priscila D’Avillar