Utilizado na resolução de problemas e na implementação de mudanças, o PDCA é um método que auxilia a melhora contínua de processos, produtos e serviços. Seu funcionamento se baseia em um ciclo rigoroso e metódico de 4 etapas principais: Planejar (Plan), Executar (Do), Verificar (Check) e Agir (Act).

O método surgiu na década de 1920, criado pelo físico norte-americano Walter Shewart. No entanto, ele ficou mais conhecido em 1950, quando o Dr. William Edward Deming aprimorou a ferramenta, utilizando os conceitos da qualidade total.

Principais benefícios ao utilizar o PDCA:

  • Facilita a tomada de decisão;
  • Redução de falhas e desperdícios;
  • Aprendizado contínuo;
  • Implementação de padrões

O ciclo PDCA

Como citado acima, o ciclo PDCA deve ser trabalhado seguindo 4 passos principais (Planejar, Executar, Verificar e Agir). O método é uma abordagem interativa que busca a melhoria contínua.

Confira as etapas do ciclo PDCA abaixo.

Ciclo PDCA

1. Plan – Planejamento

Essa é uma das etapas mais importante do ciclo, pois é nela que ocorre a identificação do problema que se deseja solucionar. Além disso, você deve entender mais a fundo o problema: observar as características, investigar e definir as causas raízes.

Com as informações recolhidas, o próximo e último passo dentro dessa etapa é a elaboração do plano de ação. Esse deve ser realizado de forma objetiva e clara, com o foco no problema levantado e suas causas.

Cuidado! A etapa de planejamento é um dos maiores motivos de erros ao aplicar o ciclo de PDCA, afinal se o problema não for definido de maneira correta, esse influenciará todas as demais partes.

3. Do – Execução

Chegou o momento de colocar o plano de ação em prática. Para garantir a qualidade de execução, vale ressaltar que treinar os envolvidos e alinhar as ações a serem feitas entre eles é fundamental.

Todas as máquinas, ferramentas e materiais necessários para cumprir as atividades definidas também devem estar disponíveis, recursos de uma maneira geral.

3. Check – Verificação

Na terceira fase acontece a análise dos resultados do plano executado. O objetivo é identificar o que deu errado e o que funcionou durante a execução do plano de ação, por meio de dados coletados e da verificação das atividades planejadas.

Você sabia que entre 1980 e 1990 o modelo de Deming sofreu uma pequena adaptação? A mudança aconteceu nessa etapa do ciclo, na qual trocaram o C de Check (verificar) por S de Study (Estudar), surgindo a variação PDSA.

O PDSA apareceu da necessidade de aprendizado através de um processo de estudo com foco na melhoria contínua, ou seja, os estudiosos da época precisaram não só verificar mas estudar detalhadamente os resultados. Entretanto, ambas variações são usadas, isso depende de cada projeto.

4.Act – Ação

Por fim, essa etapa tem como objetivo tomar as ações corretivas. Dividida em duas partes, padronização e conclusão, ocorre a implementação de soluções.

Padronização: Tudo que deu certo no plano de ação deve ser documentado e padronizado, evitando que o mesmo problema aconteça novamente.

Conclusão: Não pense que acabou por aqui, o PDCA é um ciclo. Portanto, mesmo alcançando os resultados esperados ou não, o foco sempre deve ser a busca pela melhoria contínua.

Exemplo prático do Ciclo PDCA

Para compreender melhor como funciona o PDCA podemos tentar visualizá-lo através de um exemplo. Imagine que você trabalha em uma revendedora de veículos, e percebe que não está atingindo as suas metas de vendas mensais.

Por conta disso decide fazer um projeto, com o objetivo de entender qual o motivo de estar vendendo menos, você junta o seu time e desenvolve ideias sobre a causa deste problema e planeja algumas mudanças que podem ser aplicadas.

Seu time seleciona uma pequena amostra de clientes e testa as suas ideias, então vocês verificam os resultados. Foi descoberto que o teste deu certo, por conta disso a equipe implementa as novas ideias na rotina da empresa. Você então percebe então que não conseguiu atingir ainda as metas de vendas da empresa, e por conta disso repete os passos anteriores, ou seja, o ciclo PDCA.

Ferramentas da qualidade no PDCA

Agora que você já conhece todas as etapas do ciclo PDCA, separamos também possíveis ferramentas da qualidade que podem facilitar a execução da metodologia.

  • Diagrama de Ishikawa: Ajuda a encontrar a causa raiz de um problema.
  • Diagrama de Pareto: Identifica os 20% das causas que são responsáveis por 80% dos problemas.
  • Fluxograma: Auxilia na documentação e padronização de processos.

Demais ferramentas:

Quer aprender mais sobre como utilizar as ferramentas da qualidade? Acesse nosso curso online!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *